Horário de Funcionamento 
Segunda á Sexta 08:00 – 17:00
Sábado 08:00 – 13:00
   Agendamento
Faça a sua agenda agora mesmo, fácil e mais rápido. selecione a especialidade desejada.

Se preferir entre em contato:
Telefone: (11) 3643-5690
WhatsApp: (11) 99840-1418

ACEITAMOS DIVERSOS CONVÊNIOS

   Consultas 


Agendar Agora

Quem Somos

Missão

Nós da Crop Oftalmologia temos como missão cuidar da saúde visual dos nossos pacientes, sempre levando o que há de mais moderno e seguro no tratamento dos problemas de visão, bem como prestar um serviço de qualidade e que ofereça conforto para qualquer pessoa que contratar os nossos serviços. Buscar acima de tudo promover o retorno da qualidade de vida que qualquer pessoa merece, promovendo sempre a conscientização da importância de cuidar da saúde visual de todas as faixas etárias, seja crianças, adultos e idosos, acompanhando e promovendo o retorno sempre que necessário dos nossos pacientes.

Visão

Nossa visão é estar entre as melhores provedoras de serviços oftalmológicos, ser referência em detecção e tratamento de doenças visuais e estra na vanguarda da tecnologia na execução de exames e procedimentos cirúrgicos, sempre provendo um atendimento de qualidade e acessível. Além de proporcionar a acessibilidade aos cuidados com a saúde visual para o maior número de pessoas possível.

Valores

Em nossa carreira sempre buscamos ser uma clínica que preza acima de tudo pela segurança e conforto do paciente durante nossos procedimentos, já que a saúde dos olhos de nossos pacientes foi e continua sendo o motivo que nos incentiva a trabalhar. Como empresa, sempre buscamos ser o mais transparente possíveis, sempre respeitando e valorizando o ser humano, sempre agindo com responsabilidade tanto com nossos procedimentos quanto para a sociedade em nossa volta. Valorizamos ainda a especialização de nossos funcionários, para oferecer sempre o serviço de maior qualidade possível.

Agende uma consulta

Melhore a saúde dos seus olhos e
encare uma vida sem desconfortos
Telefone: (11) 3643-5690 – WhatsApp: (11) 99840-1418
Agendar Agora

ATENDEMOS DIVERSOS

CONVÊNIOS

– Veja abaixo se atendemos seu Convênio

Convênios

Na Crop Oftalmologia trabalhamos com os principais planos de saúde, procurando proporcionar ao maior número de paciente um atendimento médico oftalmológico de qualidade e agilidade. Para isso, contamos com os mais diversos equipamentos linha de ponta em tecnologia e modernidade. Alinhado á instrumentação eficaz, contamos também com profissionais gabaritados e da mais alta capacidade.

Para ter acesso aos melhores cuidados disponíveis no ramo de medicina oftalmológica, opte pela Crop Oftalmologia, aonde a sua saúde vem sempre em primeiro lugar!

Bônus

Combatendo a catarata, sua visão de volta.

A catarata se trata de uma doença que causa a opacidade do cristalino, que é a lente natural dos nossos olhos, o que se não tratado a tempo pode causar a cegueira. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a catarata é causa de 51% dos casos de cegueira no mundo todo, o que a transforma na principal causa de cegueira que possui tratamento. Os sintomas da catarata são diversos, todos eles relacionados à dificuldade de realizar atividades do dia a dia por problemas diversos na vista, atividades antes corriqueiras se tornam difíceis por ação direta da falta de visão, dentre os sintomas estão:

  • Dificuldade de dirigir a noite, por causa do brilho dos faróis;
  • Visão nublada;
  • Visão duplicada;
  • Mudanças frequentes no grau dos óculos.

Caso você esteja passando por um ou vários dos sintomas, procure com máxima antecedência um oftalmologista para que ele possa fazer exames e descobrir se o seu caso é ou não catarata. Com exames como o de lâmpada de fenda, o seu oftalmologista poderá ter a certeza de que se trata ou não de catarata, podendo assim, passar para o tratamento da doença.

TRATAMENTO.

O único tratamento efetivo para a perca de visão causada pela catarata é a cirurgia da catarata, que consiste em substituir o cristalino opaco por uma prótese chamada de lente intraocular (LIO), onde serão feitas minúsculas incisões para a retirada da catarata e colocar as LIOs, fazendo com que a recuperação da visão seja praticamente imediata. É importante que logo que a doença seja diagnosticada você decida por operar catarata, pois quanto mais cedo a cirurgia for feita, menor será o tempo gasto na recuperação. A cirurgia da catarata tem se tornado cada vez mais segura devido ao avanço da tecnologia, resultando hoje em dia em quase 100% na recuperação da visão do paciente.

  • RECOMENDO A

    CLÍNICA CROP

    PARA MEUS AMIGOS

    "Há muito tempo passo com os especialistas da Clínica CROP, periodicamente realizando exames Oftalmológicos. Sempre fui muito bem atendido e saio da clínica despreocupado em relação a saúde dos meus olhos, desde então, recomendo a clínica para amigos e familiares"
    Felipe Carvalho
  • CIRURGIA DE CATARATA

    MUITO BEM REALIZADA

    "No final de outubro de 2016 fiz a cirurgia que mudou minha vida, tinha um problema sério de catarata e realizei a cirurgia na cínica CROP, a recuperação foi ótima sem infecções ou complicações. Sou muito grata pela equipe médica. 
    Maria de Lurdes
  • FIZ MEU

    AGENDAMENTO

    ONLINE

    "Fiz meu agendamento online e no início fiquei com medo de ir e não ser atendido, porém, cheguei na clínica e fui muito bem atendido, a clínica está de parabéns"
    Rafael Jesus

Unidades

Unidade 1
Rua Domingos Rodrigues, 538
Lapa – São Paulo/SP
CEP: 05075-000

Mapa →

Unidade 2
Rua Alexandre Dumas, 1317
Chácara Santo Antônio
São Paulo/SP CEP: 04715-005

Mapa →

OFTALMOLOGIA

CONSULTA A R$80,00

Consulta Particular com os Melhores Especialistas

  • Cirurgias Oculares

    Blefaroplastia

    Exames oftalmológicos, cuidando da saúde dos seus olhos.

    Os exames oftalmológicos muitas vezes são negligenciados por grande parte da população, porém nossa visão deve ser cuidada com extrema atenção da infância até a velhice, para que nos contemos sempre com uma saúde perfeita dos nossos olhos. As visitas na infância são muito importantes pois podem detectar problemas que se não tratados desde cedo podem causar muitos danos e até se tornarem irreversíveis. Com um acompanhamento cuidadoso numa clínica oftalmológica de confiança, você garante uma saúde perfeita para os seus olhos.

    PRINCIPAIS EXAMES OFTALMOLÓGICOS.

    Apesar de existirem diversos exames oftalmológicos, durante a vida as pessoas têm contato com somente alguns, que são mais gerais e identificam a maior parte das doenças da vista. Como exemplo de exames comuns, nós podemos citar:

    • Exame de Campimetria- o exame de Campimetria avalia a percepção do campo visual do paciente, ajudando a encontrar pontos de pouca ou nenhuma visão. O exame ajuda a encontrar doenças como o glaucoma.
    • Exame de Ceratoscopia- é um exame que mede a curvatura da córnea do paciente, já que existem doenças que podem alterar a curvatura normal da córnea, o que faz com que a luz seja refratada de maneira errada fazendo com que a imagem se forme borrada na nossa retina.
    • Exame de Acuidade Visual- talvez o mais praticado dos exames, é também conhecido popularmente como o simples “exame de vista”. É utilizado para definir se o paciente consegue enxergar detalhes de objetos ou símbolos e se ele necessita ou não do uso de lentes corretivas.

    Esses exames são os que a maioria das pessoas irão fazer um dia, mas existem diversos outros oferecidos por clinicas oftalmológicas, que é o lugar certo onde realizar exames oftalmológicos.

    Catarata

    Cirurgia de catarata, sua visão limpa outra vez.

    A catarata é hoje a maior causa de cegueira tratável no mundo, ela é causada por pequenas áreas opacas no cristalino (lente natural dos nossos olhos). A princípio essas áreas são pequenas e podem passar despercebidas, mas com o tempo se espalham por todo cristalino fazendo com que o paciente tenha perda total da visão. Os sintomas da catarata incluem:

    • Dificuldade de dirigir a noite, por causa do brilho dos faróis;
    • Visão nublada;
    • Visão duplicada;
    • Mudanças frequentes no grau dos óculos.

    O único tratamento conhecido para a catarata é a cirurgia, que além de ser completamente segura, oferece uma recuperação de 100% da visão do paciente.

    Na cirurgia, o cristalino, que é a área afetada pela catarata, é quebrado e aspirado para fora utilizando-se de um aparelho de ultrassom. Após a retirada do cristalino é feita a sua substituição por uma lente intraocular (LIO), que possibilita, além do retorno da visão que havia sido afetada pela catarata, a correção do grau dos óculos, fazendo com que o paciente não precise mais utilizar lentes corretoras para enxergar com perfeição.

    PRECAUÇÕES.

    A recuperação da cirurgia da catarata é, em grande maioria dos casos, rápida. Uma semana em média para a retomada das atividades normais e no final de um mês ou 45 dias já estão com os olhos bem recuperados. É importante que seguir algumas recomendações para que o resultado seja completamente satisfatório, como por exemplo, evitar esforços físicos, não abaixar a cabeça de maneira abrupta e principalmente manter controle sobre a utilização dos colírios indicados pelo oftalmologista.

    É importante lembrar que todo o pré, pós e o procedimento da cirurgia em si, deve ser acompanhado por uma equipe médica de oftalmologistas qualificados e treinados para que todo o processo seja supervisionado pelos mesmos, e possa se obter laudos mais precisos sobre a recuperação e situação do paciente.

    intra-vitreo

    Os medicamentos anti-VEGF são responsáveis por inibir o fator de crescimento vascular endotelial, auxiliando no tratamento dos casos de degeneração macular relacionada à idade, oclusão venosa da retina e da retinopatia diabética. Os medicamentos anti-VEGF inibem a progressão das referidas doenças e, em alguns casos, melhoram a acuidade visual do paciente.

    Indicações: procedimento indicado para todas as doenças relacionadas à formação de vasos sanguíneos anômalos como Retinopatia Diabetica, Degeneração Macular Relacionada, Glaucoma de causa vasculares e Trombose. Esse quadra tem uma melhora apos o uso de medicamentos Anti-VEGF.

    Procedimento: O procedimento é realizada no centro cirúrgico, com uso de anestesia local e sob sedação.

    Orientações: toda cirurgia de Injeção Intravítrea de Anti-VEGF, assim como qualquer procedimento cirúrgico, está sujeita a problemas como inflamação. Além disso, esse procedimento necessita de mais de uma aplicação de acordo com a programação feita pelo médico responsável.

    Refrativa

    CIRURGIA REFRATIVA, CORRIGINDO A SUA VISÃO.

    A cirurgia refrativa atua na córnea e procura torná-la plana ou dobrá-la para diminuir ou retirar completamente respectivos problemas de visão que o paciente possa ter. Com o avanço da tecnologia, a cirurgia refrativa proporciona além de mais segurança, resultados mais eficazes.

    RECOMENDAÇÕES.

    A cirurgia refrativa é recomendada para corrigir diversas doenças que afetam a córnea do paciente, causando a diminuição da acuidade visual. As doenças que podem ser tratadas pela cirurgia refrativa são:

    • Miopia.

    A miopia é uma doença que surge quando os raios de luz se focalizam antes da retina, o que pode ser causado por deformações na córnea. A consequência da miopia é a dificuldade de enxergar de longe.

    • Hipermetropia.

    A hipermetropia ocorre quando os raios de luz são focalizados num ponto atrás da retina, isso é causado por uma curvatura insuficiente da córnea, causando assim a dificuldade de enxergar de perto.

    • Astigmatismo.

    O astigmatismo é caracterizado pela curvatura irregular da córnea, fazendo com que os raios de luz sejam focalizados em mais de um ponto da retina. Pode causar dificuldade de enxergar de longe ou de perto, associando-se com a miopia, com a hipermetropia ou com ambos.

    CIRURGIA.

    Para a execução da cirurgia refrativa existem várias técnicas disponíveis, a escolha delas depende das necessidades de cada paciente, como irregularidades da córnea, disponibilidade para o pós-operatório. As técnicas mais utilizadas são:

    • PRK- técnica muito segura, porém com pós-operatório mais demorado;
    • LASIK com microcerátomo – melhora imediata da visão e pós-operatório indolor.
    • LASIK com femtosegundo – técnica muito segura no pré-operatório, com melhora imediata da visão e pós-operatório indolor.

    A escolha do tipo de cirurgia dependerá da analise do oftalmologista, que poderá desaconselhar o procedimento em caso de risco para o paciente. Caso o procedimento seja seguro, a escolha será discutida com o paciente.

    PÓS-OPERATÓRIO.

    É de extrema importância que se siga as recomendações do seu médico quanto as atividades permitidas e o prazo em que se poderá realizar as demais, evitar também o contato com ambientes que possam irritar os olhos como praias, piscinas, saunas e ambientes onde há fuligem. Durante alguns dias após a cirurgia a visão poderá estar um pouco turva, mas a melhora será gradual, e é imprescindível utilizar óculos escuros em ambientes de muita claridade, realizar o acompanhamento e os retornos sempre que necessários.

  • Doenças

    Astigmatismo

    O que é Astigmatismo?

    Astigmatismo é uma imperfeição comum, leve e facilmente tratável na curvatura do olho. A maior parte do poder de foco no olho ocorre ao longo da superfície frontal, chamada córnea. A próxima estrutura envolvida na focagem é o cristalino, lente que fica atrás da iris no interior do olho.

    A córnea ideal tem uma superfície simetricamente curva, como uma bola de basquete. O astigmatismo é causado por uma córnea ou uma lente que não é simétrica. Como resultado, as pessoas com astigmatismo podem ter visão distorcida ou borrada.

    O astigmatismo pode ocorrer em famílias e na maioria dos casos está associado com outros problemas de refração, como miopia ou hipermetropia. Ele também pode aumentar ao longo do tempo devido à idade.

    Causas

    Seu olho tem duas partes que concentram as imagens, a córnea e o cristalino. Num olho com a forma perfeita, cada um destes elementos de focagem tem uma curvatura lisa, como a superfície de uma esfera.

    A córnea ou cristalino com tais curvas de superfície de curvatura refrata toda a luz recebida da mesma maneira e faz uma imagem perfeitamente focada na parte de trás do olho.

    No entanto, se sua córnea ou lente não é uniforme e curva, os raios de luz não são refratados corretamente, e a imagem não fica igualmente focada. Isso faz com que a visão parece borrada, dando origem ao astigmatismo.

    No astigmatismo, a córnea ou o cristalino tem uma curva mais acentuada para uma direção do que para outra. Você tem astigmatismo corneano, sua córnea tem uma forma distorcida. Você tem astigmatismo lenticular se seu cristalino é distorcido.

    O astigmatismo pode ocorrer em combinação com outros erros refrativos. Veja:

    • Miopia: ocorre quando a córnea é curva demais ou o olho é mais longo do que o normal. Em vez de se focar justamente na retina, a luz é focalizada na frente da retina, resultando em uma aparência embaçada para objetos distantes
    • Hipermetropia: ocorre quando a córnea é pouco curva ou seu olho é mais curto do que o normal. O efeito é o oposto da miopia. Quando o olho está em um estado de relaxamento, a luz é focada na parte de trás, fazendo com que objetos próximos fiquem embaçados

    O astigmatismo pode estar presente desde o nascimento, ou pode se desenvolver após uma lesão ocular, doença ou cirurgia. O astigmatismo não é causado ou agravado pela leitura com pouca luz, sentar muito perto da televisão ou estrabismo. Uma causa importante de astigmatismo é coçar o olho, prática muito comum em clima seco e alta concentração de poeira no ar.

    Sintomas de Astigmatismo

    O sintoma mais comum do astigmatismo é a visão borrada ou dupla. Se a visão está apenas um pouco afetada, é possível que não tenha nada de errado. Astigmatismo mais significativo pode causar distorções visíveis.

    É particularmente importante lembrar que bebês e crianças com problemas de visão podem não perceber o problema. Afinal, elas podem nunca ter visto o mundo em foco. É por isso que é uma boa ideia ter um controle regular da visão das crianças, principalmente se há casos de problemas refrativos na família. É de suma importância fazer o teste do olhinho logo no nascimento do bebê e levar a criança ao oftalmologista no primeiro ano de vida. Neste período, muitas doenças podem ser diagnosticadas e tratadas, sendo algumas com medidas simples como uso de tampão, evitando assim a cegueira.

    Aqui Estão Alguns Sintomas de Astigmatismo:

    • Não conseguir ler letras pequenas
    • Dificuldade de leitura
    • Visão dupla
    • Incapacidade de ver de perto e de longe sem apertar os olhos
    • Fotofobia (sensibilidade à luz)
    • Piora da acuidade visual a noite (miopia também causa piora da acuidade visual noturna)

    Crianças com Astigmatismo Podem Experimentar:

    • Dificuldade com foco em palavras e linhas impressas
    • Tensão do olho
    • Olhos cansados
    • Dores de cabeça

    Blefarite

    O que é Blefarite ?

    Blefarite é o inchamento ou inflamação das pálpebras, geralmente onde se localizam os folículos dos cílios.

    Causas

    Em indivíduos com blefarite, as glândulas próximas à pálpebra produzem muito óleo. O motivo exato para esse problema não é conhecido. A blefarite pode ser observada juntamente com:

    • Uma condição da pele chamada dermatite seborreica ou seborreia, que pode envolver o couro cabeludo, sobrancelhas, pálpebras, parte de trás das orelhas e dobras do nariz;
    • Alergias e piolhos que afetam os cílios (menos comum);
    • Crescimento excessivo das bactérias que são normalmente encontradas na pele;
    • Rosácea – uma condição cutânea que faz o rosto ficar avermelhado;

    A blefarite pode estar associada a repetição de terçois e calázias.

    Sintomas de Blefarite

    As pálpebras ficam vermelhas e irritadas, com escamas que se prendem à base dos cílios. As pálpebras podem apresentar:

    • Ardência
    • Crostas
    • Prurido
    • Vermelhidão
    • Inchaço

    Você pode ter a sensação de areia ou poeira no olhos ao piscar. Às vezes, os cílios podem cair e as pálpebras ficarem com cicatrizes.

    Catarata


    Combatendo a catarata, sua visão de volta.

    A catarata se trata de uma doença que causa a opacidade do cristalino, que é a lente natural dos nossos olhos, o que se não tratado a tempo pode causar a cegueira. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a catarata é causa de 51% dos casos de cegueira no mundo todo, o que a transforma na principal causa de cegueira que possui tratamento. Os sintomas da catarata são diversos, todos eles relacionados à dificuldade de realizar atividades do dia a dia por problemas diversos na vista, atividades antes corriqueiras se tornam difíceis por ação direta da falta de visão, dentre os sintomas estão:

    • Dificuldade de dirigir a noite, por causa do brilho dos faróis;
    • Visão nublada;
    • Visão duplicada;
    • Mudanças frequentes no grau dos óculos.

    Caso você esteja passando por um ou vários dos sintomas, procure com máxima antecedência um oftalmologista para que ele possa fazer exames e descobrir se o seu caso é ou não catarata. Com exames como o de lâmpada de fenda, o seu oftalmologista poderá ter a certeza de que se trata ou não de catarata, podendo assim, passar para o tratamento da doença.

    TRATAMENTO.

    O único tratamento efetivo para a perca de visão causada pela catarata é a cirurgia da catarata, que consiste em substituir o cristalino opaco por uma prótese chamada de lente intraocular (LIO), onde serão feitas minúsculas incisões para a retirada da catarata e colocar as LIOs, fazendo com que a recuperação da visão seja praticamente imediata. É importante que logo que a doença seja diagnosticada você decida por operar catarata, pois quanto mais cedo a cirurgia for feita, menor será o tempo gasto na recuperação. A cirurgia da catarata tem se tornado cada vez mais segura devido ao avanço da tecnologia, resultando hoje em dia em quase 100% na recuperação da visão do paciente.

    Ceratocone

    Sintomas de Ceratocone

    O principal sintoma é facilmente sentido pelo paciente, a visão borrada e distorcida tanto para longe quanto para perto, dores de cabeça, halos em torno das luzes, fotofobia e coceira.

    Tratamento de Ceratocone

    As alternativas de tratamento para ceratocone sempre são avaliadas nesta ordem: óculos, lentes de contato e cirurgias.

    1. Óculos como tratamento para ceratocone. A primeira opção que o paciente recebe é a prescrição de óculos, na maior parte das vezes em casos iniciais da doença.
    2. Lentes de Contato como tratamento para ceratocone. Caso os óculos não atinjam o objetivo de fornecer uma acuidade visual satisfatória, a lente de contato é a próxima alternativa, geralmente é utilizada a lente rígida gás permeável.
    3. Crosslinking como tratamento para ceratocone. O resultado deste processo é a criação de resistência mecânica da córnea. Com isso, há menor chance de progressão do ceratocone.
    4. Transplante de Córnea como tratamento para ceratocone. Utilizada em casos mais avançados do ceratocone.
    5. Implante de Anel Corneano como tratamento para ceratocone.Por mais complexo que pareça ser, o procedimento, realizado é com anestesia local, indolor e com excelentes resultados. Essa alternativa cirúrgica segura para o ceratocone é o implante de segmentos de anel corneano, regredindo o ápice do ceratocone e retornando-o a um formato mais natural, arredondado.

    O tratamento do ceratocone visa sempre proporcionar ou manter (nas fazes iniciais) uma boa visão ao paciente, bem como garantir seu conforto na utilização dos recursos que serão empregados e principalmente preservar a saúde da córnea. As alternativas sempre serão avaliadas nesta ordem: óculos, lentes de contato e quando essas não surgirem mais efeitos, recomendamos cirurgias para o ceratocone.

    Conjuntivite

    O que é Conjuntivite?

    A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, a conjuntivite ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas. A conjuntivite pode ser aguda ou crônica, afetar um dos olhos ou os dois.

    Causas

    A conjuntivite pode ser causada por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (poluição, fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc.). A mais comum delas é a conjuntivite primaveril ou febre do feno, geralmente causada por pólen espalhado no ar.

    A conjuntivite pode ser causada, também, por vírus e bactérias. Nestes casos, a conjuntivite é contagiosa e pode ser transmitida pelo contato direto com as mãos, com a secreção ou com objetos contaminados.

    Sintomas de Conjuntivite

    • Olhos vermelhos e lacrimejantes
    • Pálpebras inchadas
    • Sensação de areia ou de ciscos nos olhos
    • Secreção purulenta (conjuntivite bacteriana)
    • Secreção esbranquiçada (conjuntivite viral)
    • Coceira
    • Fotofobia (dor ao olhar para a luz)
    • Visão borrada
    • Pálpebras grudadas quando a pessoa acorda

    Tratamento de Conjuntivite

    O tratamento da conjuntivite é determinado pelo agente causador da doença. Para a conjuntivite viral não existem medicamentos específicos. Já o tratamento da conjuntivite bacteriana inclui a indicação de colírios antibióticos, que devem ser prescritos por um médico, pois alguns colírios são altamente contra-indicados, porque podem provocar sérias complicações e agravar o quadro.

    Cuidados especiais com a higiene ajudam a controlar o contágio e a evolução da conjuntivite. Qualquer que seja o caso, porém, é fundamental lavar os olhos e fazer compressas com água gelada, que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico comprado em farmácias ou distribuído nos postos de saúde.

    DMRI

    O que é Degeneração Macular Relacionada à Idade?

    DMRI ou Degeneração Macular Relacionada à Idade é uma doença degenerativa que envolve a parte mais central da retina humana, responsável pela nossa visão de nitidez e chamada de mácula. Trata-se de uma doença geneticamente determinada e que afeta, principalmente, as pessoas de pele clara e com idade superior aos 50 anos.

    Existem duas formas da doença, sendo uma mais prevalente e menos grave, chamada de DMRI seca; e a outra é mais severa, porém menos frequente chamada de DMRI exsudativa (hemorrágica). O início da doença e sua gravidade sofrem grande influência da exposição ao sol, tabagismo, hábitos nutricionais e associação com doenças metabólicas e circulatórias como o diabetes e a hipertensão arterial.

    A preocupação com a DMRI deve ser considerada cada vez mais importante na medida em que a população apresenta uma expectativa de vida cada vez maior. Isso faz com que a doença afete mais pessoas em idade ainda bastante produtiva. As mudanças da nossa pirâmide populacional farão com que encontremos cada vez mais doentes afetados em nosso meio. Estima-se que, no Brasil, cerca de cem mil novos casos de DMRI se desenvolvam a cada ano, sendo a maior causa de cegueira após os 60 anos.

    DMRI Seca

    Na DMRI seca, há um acúmulo de proteínas e gorduras conhecidas como drusas. Elas se colocam na camada celular da mácula, provocando sua degeneração. Elas podem, ainda, levar ao descolamento da retina. Em 90% dos pacientes acometidos com DMRI manifesta a forma seca da doença.

    A DMRI seca tem progressão lenta e dificilmente leva à perda total da visão. Normalmente, é possível preservar a visão lateral, por exemplo. Em alguns casos, a DMRI seca pode permanecer estável por muitos anos.

    DMRI Exsudativa

    Esse é um tipo mais agressivo de DMRI. Ela progride rapidamente e precisa de intervenção adequada com agilidade, para evitar a perda da visão. A DMRI exsudativa se caracteriza pela formação de vasos sanguíneos anormais e mais fracos na retina, que podem ocasionar o vazamento de fluido, afetando a mácula, prejudicando assim a visão central.

    Causas

    As causas da DMRI ainda não são conhecidas. Sabe-se que com o passar da idade acontece uma degeneração que afeta diretamente a mácula, região central e mais nobre da retina, responsável pela captação de imagens centrais e detalhadas que permitem às pessoas enxergar tudo o que está a sua frente, além de possibilitar a visão de cores.

    Glaucoma

    O que é Glaucoma ?

    O glaucoma refere-se a um grupo de doenças oculares que provocam danos no nervo óptico, nervo que carrega informações visuais do olho até o cérebro.

    Em muitos casos, os danos ao nervo óptico resultam de um aumento da pressão ocular, também conhecida como pressão intraocular.

    Causas

    O glaucoma é a segunda maior causa de cegueira nos Estados Unidos. Existem quatro tipos principais de glaucoma:

    • Glaucoma de ângulo aberto (crônico)
    • Glaucoma de ângulo fechado (agudo)
    • Glaucoma congênito
    • Glaucoma secundário

    A parte frontal do olho é preenchida por um fluido claro chamado de humor aquoso. Esse fluido é constantemente produzido na parte posterior do olho. Ele deixa o olho através de canais na parte frontal do olho em uma área chamada de cavidade anterior, ou simplesmente de ângulo.

    Qualquer coisa que diminua ou bloqueie o fluxo desse fluido para fora do olho provoca o aumento da pressão ocular. Essa pressão é denominada pressão intraocular. Na maioria dos casos de glaucoma, essa pressão está elevada e provoca danos no nervo principal no olho, o nervo óptico.

    O glaucoma de ângulo aberto (crônico) é o tipo mais comum de glaucoma.

    • A causa é desconhecida Um aumento na pressão ocular desenvolvesse lentamente com o passar do tempo. A pressão empurra o nervo óptico e a retina para trás do olho.
    • O glaucoma de ângulo aberto tende a ser hereditário. Os riscos à predisposição aumentam caso haja um pai ou avó com este tipo de glaucoma.

    O glaucoma de ângulo fechado (agudo) ocorre quando a saída do humor aquoso é subitamente bloqueada. Isso origina um aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular.

    • O glaucoma de ângulo fechado é uma emergência. Isso é bem diferente do glaucoma de ângulo aberto, que de forma lenta e indolor vai danificando a visão
    • Se você já teve glaucoma agudo em um olho, há um grande risco de que o outro olho seja afetado, e o médico provavelmente recomendará tratamento preventivo
    • O uso de midiátricos e de certos medicamentos pode provocar um ataque de glaucoma agudo

    O glaucoma congênito é hereditário.

    • É presente no nascimento
    • Resulta de um desenvolvimento anormal dos canais de circulação do humor aquoso no olho

    O glaucoma secundário é causado por:

    • Drogas, tais como os corticosteroides
    • Doenças oculares, tais como uveíte
    • Doenças sistêmicas

    Sintomas de Glaucoma

    Glaucoma de Ângulo Aberto

    • Muitas pessoas NÃO apresentam sintomas até o início da perda da visão
    • Perda gradual da visão periférica (lateral, também denominada visão de túnel)

    Glaucoma de Ângulo Fechado

    • Os sintomas podem ser intermitentes no início ou piorarem prontamente
    • Dor grave e súbita em um olho
    • Visão diminuída ou embaçada
    • Náusea e vômito
    • Halos coloridos ao redor das luzes
    • Olhos vermelhos
    • Olhos de aparência inchada

    Glaucoma Congênito

    • Os sintomas costumam ser notados quando a criança tem alguns meses de vida
    • Nebulosidade na parte frontal do olho
    • Aumento de um olho ou de ambos os olhos
    • Olho vermelho
    • Sensibilidade à luz
    • Lacrimação

    Hipermetropia

    Hipermetropia

    O que é?

    Quando o olho é um pouco menor do que o normal, provocando uma focalização errada da imagem, que se forma após a retina, chamamos de hipermetropia. também pode ter como sintoma a diminuição do poder refrativo do olho, causada por alterações no formato na córnea ou no cristalino.

    As crianças normalmente apresentam hipermetropia, porque seus olhos normalmente são menores do que deveriam ser, porém elas têm um maior poder de acomodação por isso suportam graus mais elevados. É comum casos de crianças que necessitam de óculos, mas deixam de usá-los na idade adulta, pois o olho atinge o tamanho ideal.

    A hipermetropia também pode estar associada ao aparecimento de estrabismo acomodativo na infância, com o surgimento de sintomas ao redor dos 2 anos de idade. Neste caso a correção total do problema pode ser feita com o uso óculos.

    Sintomas

    Os principais sintomas da hipermetropia são: desconforto para focalizar imagens próximas, dores de cabeça e cansaço.

    Tratamento

    O tratamento para a hipermetropia é feito através do uso de lentes convergentes ou convexas, que têm a função de direcionar a luz para a retina, onde a imagem deve se formar. O principal procedimento para a correção do problema é a cirurgia refrativa, realizada com Excimer Laser ou Lasik, geralmente aplicada depois dos 21 anos.

    Miopia

    O que é Miopia ?

    A miopia acontece quando a luz que entra no olho é focalizada incorretamente, fazendo com que os objetos distantes pareçam turvos. A miopia é um tipo de erro de refração do olho.

    Se você tiver miopia, terá problemas para enxergar objetos que estão longe.

    Causas

    As pessoas conseguem enxergar porque a parte frontal do olho encurva (refrate) a luz e a aponta para a superfície posterior do olho, chamada retina.

    A miopia ocorre quando o comprimento físico do olho é maior do que o comprimento óptico.
    Isso faz com que seja mais difícil para os olhos focar a luz diretamente na retina. Se os raios de luz não estiverem claramente focados na retina, as imagens que você vê podem ficar borradas.

    A miopia afeta homens e mulheres igualmente. As pessoas com histórico familiar de miopia têm mais probabilidade de desenvolvê-la. A maioria dos casos de olhos com miopia é saudável, mas um pequeno número de pessoas com miopia grave desenvolve uma forma de degeneração da retina.

    Sintomas da Miopia

    Uma pessoa míope vê claramente os objetos próximos, mas os objetos distantes ficam borrados. Apertar os olhos pode fazer com que os objetos distantes pareçam mais claros.

    Com frequência, a miopia é notada pela primeira vez em crianças em idade escolar ou adolescentes. As crianças, muitas vezes, não conseguem ler o quadro-negro, mas podem ler um livro facilmente.

    A miopia piora durante os anos de crescimento. As pessoas com miopia precisam trocar de óculos ou lentes de contato frequentemente.
    Normalmente, o problema para de avançar quando a pessoa para de crescer ou quando chega na faixa dos 20 anos.

    Outros sintomas podem incluir:

    • Fadiga ocular
    • Dores de cabeça (incomum)

    Moscas

    Moscas Volantes

    São pequenas opacificações (flutuações) que se formam no vítreo (substância gelatinosa transparente que preenche o globo ocular) e percebidas como sendo manchas, nuvens, pontos ou teias de aranha. Na maioria das vezes as flutuações são células que se agrupam e de pouca importância. Podem aparecer e desaparecer e, em geral, o paciente aprende a conviver e tolerar as mesmas e quando necessário faz movimentos com os olhos e para os lados, para cima e para baixo, fazendo com que as flutuações saiam do seu campo visual.

    Causas

    As flutuações podem ter diferentes graus conforme sua importância e causa. A flutuação pode ser um pequeno grupo de células, parte do vítreo descolada, células de sangue flutuando no vítreo ou inflamação intra-ocular.

    Tratamento

    Não são indicados quaisquer tratamento para moscas volantes. Se surgirem repentinamente e em grande número, podem ser sinais de graves problemas de retina, como rasgo e descolamento. Nestes casos, deve-se consultar um oftalmologista.

    Olho-Seco

    Olho Seco

    A lágrima, ou filme lacrimal, é um líquido produzido pelas glândulas lacrimais. Ela é composta por água, sais minerais, proteínas e gordura, com a função de lubrificar, limpar e proteger o olho das agressões causadas por substâncias estranhas ou micro-organismos.

    Uma anomalia na produção ou na qualidade da lágrima pode provocar o ressecamento da superfície do olho, da córnea e da conjuntiva. Essa condição é conhecida como a síndrome do olho seco, que acomete especialmente as mulheres mais velhas.

    Causas

    Entre as causas da síndrome do olho seco destacam-se:

    • Função reduzida das glândulas lacrimais e perda do componente aquoso da lágrima como consequência do envelhecimento, de doenças sistêmicas e autoimunes (síndrome de Sjögren, artrite reumatoide, lúpus, etc.), do uso de certos medicamentos, entre outros os antidepressivos, os antialérgicos, os betabloqueadores;
    • Evaporação excessiva provocada por fatores ambientais (ar condicionado, vento, clima quente e seco, fumaça,etc.);
    • Anormalidades nas pálpebras.

    Sintomas

    Os principais sintomas são secura, vermelhidão, coceira, ardor, sensação de corpo estranho e de “areia” nos olhos. Nos quadros mais graves, fotofobia, dificuldade de movimentar as pálpebras e maior produção de muco são também sinais da síndrome.

    Diagnóstico

    O diagnóstico é basicamente clínico, mas pode-se contar com o exame da lâmpada de fenda e o teste de Shirmer para avaliar o nível de produção de lágrimas.

    Tratamento

    O tratamento da síndrome do olho seco é feito com a aplicação de lágrimas artificiais, ou seja, de lubrificantes oculares, sob a forma de colírio ou pomada. Eles ajudam a aliviar os sintomas e, geralmente, não costumam ter efeitos adversos. É indispensável, porém, identificar e controlar as causas do distúrbio.

    Recomendações

    • Pessoas com a síndrome dos olhos secos podem necessitar de cuidados especiais para adaptar-se ao uso de lentes de contato;
    • Diante do computador ou da TV, a tendência é piscar menos. Consequentemente, o filme lacrimal não é distribuído com regularidade sobre a superfície dos olhos e sua lubrificação fica comprometida;
    • Portadores da síndrome do olho seco precisam de acompanhamento oftalmológico mais frequente. Sem tratamento, podem ocorrer lesões na córnea que comprometem a qualidade da visão temporária ou definitivamente.

    Presbiopia

    O que é Presbiopia?

    A presbiopia é uma condição em que a lente do olho perde a sua capacidade de foco, tornando difícil enxergar objetos de perto.

    No olho jovem, a lente precisa mudar seu comprimento ou formato para focar objetos que estão perto. A capacidade da lente de alterar o formato é chamada de a elasticidade da lente. Esta elasticidade é lentamente perdida com a idade. O resultado é uma diminuição lenta da capacidade do olho para focar objetos próximos.

    As pessoas costumam notar a condição em torno de 45 anos de idade, quando percebem que precisam manter materiais para leitura mais longe, a fim de focar neles. A presbiopia é uma parte natural do processo de envelhecimento e que afeta a todos.

    O médico irá realizar um exame de vista geral, incluindo medidas para determinar a prescrição de óculos ou lentes de contato.

    Os testes podem incluir:

    • Exame da retina
    • Teste de integridade do músculo
    • Exame de refração
    • Teste de lâmpada de fenda
    • Acuidade visual

    Consulte seu médico ou oftalmologista se você tem cansaço visual ou se eles estiverem menos capazes de focar objetos próximos.

    Sintomas de Presbiopia

    • Diminuição da capacidade de foco em objetos próximos
    • Fadiga ocular
    • Dor de cabeça

    Retinopatia

    O que é Retinopatia Diabética?

    Por definição, a retinopatia diabética é o conjunto de alterações nos vasos sanguíneos e na retina causadas pela diabetes. É uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos do olho.

    Quase 10% da população sofre de diabetes, e a retinopatia diabética acomete mais de 50% dos pacientes diabéticos. Estes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as pessoas que não apresentam a doença. No momento atual, a retinopatia diabética se destaca como um grande problema, sendo a principal causa de cegueira em adultos.

    Há alguns anos, diabetes era sinônimo de cegueira. Felizmente isso já é coisa do passado. A prevalência da Retinopatia Diabética em Diabéticos Insulino-Dependentes é de 40%, enquanto em Diabéticos Não-Insulino Dependentes é de 20%. A faixa etária mais acometida está entre 30-65 anos, e entre o sexo feminino.

    Atualmente sabemos que o diagnóstico e tratamento precoces podem reduzir em 80% o risco de cegueira decorrente da diabetes.

    O controle rigoroso da glicemia com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina, uma combinação destes tratamentos, prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a retinopatia diabética. O tratamento reduz drasticamente as complicações oculares e de outros órgãos. O cuidado com a alimentação deve ser associado à prática regular de exercícios e acompanhamento médico freqüente. Não se deixe enganar pela ausência de sintomas. Meça regularmente sua glicemia e use diariamente a medicação prescrita.

    O que Causa a Retinopatia Diabética?

    O aumento constante da glicose no sangue faz com que todos os tecidos do corpo fiquem impregnados pela glicose. Está implicado na aceleração da catarata, alguns tipos glaucoma e nas neurites periféricas dos diabéticos.

    A maioria dos paciente diabéticos desenvolve mudanças na retina após aproximadamente 20 anos e provavelmente 80% das pessoas que tenham sofrido de diabetes por pelo menos 15 anos apresentam algum tipo de lesão nos vasos sanguíneos da retina. Depois de 10 anos de doença, a incidência é de 50 %, depois de 30 anos, é de 90%.

    Um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos da retina, que é a região conhecida como “fundo de olho”. Pode causar estreitamento e às vezes bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento da sua parede, deformidades conhecidas como micro-aneurismas. Estes microaneurismas muitas vezes rompem ou extravasam sangue causando hemorragia e infiltração de gordura na retina.

    Existem duas formas de retinopatia diabética: não-proliferativa e proliferativa. Em ambos os casos, a retinopatia pode levar a uma perda parcial ou total da visão.

    Retinopatia Diabética Não-Proliferativa: Pode variar de inicial, moderada a severa. Pode ocorrer muita isquemia retiniana, porém sem neovasos. Pode ocorrer edema na retina, e caso acometa a área macular (edema macular), pode baixar muito a visão central.
    Retinopatia Diabética Proliferativa: quando a doença dos vasos sanguíneos da retina progride, o que ocasiona a proliferação de novos vasos anormais que são chamados “neovasos”. Estes neovasos são extremamente frágeis e também podem sangrar para dentro do olho (cavidade vítrea), ocasionando uma baixa ou perda da visão. Além do sangramento, os neovasos podem crescer ao longo da retina e da superfície do humor vítreo (gel que preenche o globo ocular) causando graus variados de destruição da retina e dificuldade visual. A proliferação dos neovasos também pode causar cegueira em conseqüência de um descolamento de retina tracional. Edema macular também pode baixar a visão na RDP, aproximadamente 50% das pessoas com RDP têm edema macular.

    Esses mecanismos que temos para melhorar a oxigenação não são suficientes para salvar a retina, caso não ocorra a melhora da saúde de uma forma geral. A produção permanente do VGEF (sigla em inglês de /fator de proliferação vascular endotelial/) causa o edema crônico da retina e o crescimento de novos vasos (neovasos). Esses neovasos não são muito competentes em oferecer mais oxigênio e atrapalham a visão, além de sangrar com facilidade.

    Quais São os Sinais e Sintomas da Retinopatia Diabética?

    Retinopatia diabética freqüentemente não tem nenhum sinal de advertência precoce, ocorre silenciosamente. Quando ela começa a dar sintomas, provavelmente já estamos em um estágio avançado. Os sintomas variam dependendo do estágio da doença. Alguns sintomas comuns são a visão borrada, moscas volantes, flashes ou perda repentina da visão. Em caso de qualquer um desses sintomas procure o seu oftalmologista para avaliação da sua retina.

  • Exame

    Ceratoscopia

    Exame de Ceratoscopia, medindo a curvatura da córnea.

    A Ceratoscopia, também conhecida como Topografia Corneana, é um exame que mede a curvatura da córnea do paciente, uma vez que existem doenças que podem alterar a curvatura normal da córnea, o que faz com que a luz seja refratada de maneira errada e que a imagem se forme borrada na nossa retina, causando a diminuição da acuidade visual.

    O exame de Ceratoscopia pode ser utilizado tanto como em exame preventivo quanto para um exame pré e pós-operatório, pois a topografia da córnea é um dos dados mais importantes para nossa visão ser perfeita. O exame de Ceratoscopia é indicado para:

    • Encontrar cicatrizes e opacidades na córnea;
    • Acompanhamento da adaptação a lentes de contato;
    • Avaliação de astigmatismo;
    • Pré operatório da cirurgia de catarata;
    • Pós-operatório da cirurgia de transplante de córnea;
    • Controle na retirada dos pontos de cirurgias de transplante de córnea.

    A Ceratoscopia Computadorizada consiste no uso de um aparelho que contém diversos círculos luminosos, o paciente olha para o centro desses círculos e o equipamento tira uma fotografia do reflexo da luz no seu olho. Essa fotografia é depois analisada pelo computador e transformada em um mapa com cores fantasia, em que as cores quentes representam maiores elevações e cores frias áreas mais profundas, justamente como um mapa de topografia geográfico.

    PRECAUÇÕES.

    Apesar de ser um exame pouco invasivo, algumas precauções devem ser tomadas antes da pratica da Ceratoscopia Computadorizada, como por exemplo:

    • Não dilatar a pupila antes do exame;
    • Não utilizar colírios antes do exame;
    • Não é recomendado para pacientes com fotofobia (sensibilidade a luz);
    • Não utilizar lentes de contato pelo período recomendado pelo médico.

    O segmento destas recomendações é tão importante quanto ter o acompanhamento de profissionais devidamente qualificados da área de Oftalmologia, se faz imprescindível realizar todos os procedimentos com uma clínica oftalmológica de credibilidade, tal como a Crop Oftalmologia.

    Curva-Tensional

    Consiste na medição da pressão intra-ocular em diferentes horários ao longo do dia. É muito importante no diagnóstico e no monitoramento do glaucoma, pois sabe-se que a pressão intraocular sofre oscilações nas 24 horas. Geralmente se faz 3 a 4 medidas distribuídas entre as 8 e 18 horas. Mais raramente interna-se o paciente para medidas à noite e pela manhã no leito.

    Fundoscopia

    O exame de fundo de olho (fundoscopia ou oftalmoscopia) consiste em examinar as artérias, veias e nervos da retina através dos meios transparentes do olho (salvo em caso de patologias) que se interpõem entre o médico e a retina. A importância do exame é propiciar um diagnóstico local, o exame da retina permite avaliar alguns aspectos da saúde do indivíduo de uma maneira geral. A fundoscopia é a melhor forma de analisar o estado de nossos vasos sanguíneos sem utilizar um método invasivo.

    Como é realizado o exame?

    O exame é feito através do oftalmoscópio, um aparelho no qual projeta um feixe de luz no interior do olho e, mediante a reflexão dessa luz na retina, permite observar suas estruturas. Para facilitar e ampliar a visão da retina o médico geralmente usa um colírio que dilata a pupila ocular, esse processo faz com que o paciente tenha que aguardar algum tempo antes de expor-se à claridade.

    • Direta: realizada através de um aparelho simples e portátil, do qual se obtém uma imagem aumentada quinze vezes, mas com um campo de visão mais restrito, ministrado pelo clínico geral.
    • Indireta: Ministrada geralmente pelo oftalmologista, com equipamentos mais complexos, que gera uma imagem com ampliação menor, mas que permite uma visualização mais ampla da retina.

    Quem deve fazer o exame de fundo de olho?

    A fundoscopia faz parte da rotina no consultório dos oftalmologistas é um meio prático e fácil de avaliar a situação clínica de vários órgãos e fornecer informações sobre o desenvolvimento de algumas doenças. O exame pode ser feito em pessoas de qualquer idade. Bebês, prematuros ou não, cujas mães sofreram infecções durante a gestação devem ser submetidos ao exame, que pode, além disso, revelar a presença de tumores e de doenças locais ou sistêmicas.

    Quais são as principais doenças que podem ser diagnosticadas ou acompanhadas por meio da fundoscopia?

    As principais doenças que podem ser diagnosticadas ou acompanhadas são:

    • Doenças oculares ou sistêmicas dos recém-nascidos.
    • Glaucoma.
    • Degeneração macular relacionada ao envelhecimento.
    • Hipertensão e hemorragia intracranianas.
    • Diabetes mellitus.
    • Hipertensão arterial.

    Goniscopia

    Exame complementar para diagnóstico do Glaucoma onde é avaliado o canal pelo qual escoa o humor aquoso, que é o líquido responsável pela manutenção da pressão intraocular.

    É um exame indolor, realizado após a instilação de uma gota de colírio anestésico para maior conforto, e que utiliza uma lente própria (lente de três espelhos) para a sua realização.

    Mapeamento-Retina

    O mapeamento de retina é o exame detalhado do fundo de olho, feito através de um aparelho chamado Oftalmoscópio Indireto. É um exame realizado e interpretado por um oftalmologista especializado em doenças da retina e vítreo em que as estruturas que compõem o fundo do olho são detalhadamente avaliadas. É essencial para detecção de doenças como a retinopatia diabética, a retinopatia hipertensiva, as degenerações da mácula e da periferia retiniana, inflamações e infecções vítreo-retinianas, hemorragias e descolamentos do vítreo e da retina.

    Suas principais indicações são para a avaliação preventiva do descolamento de retina (principalmente em indivíduos com miopia), a avaliação da desorganização ou descolamento do vítreo (as chamadas “moscas volantes”) e o controle das alterações retinianas frequentes em indivíduos diabéticos. As pupilas devem ser dilatadas para a realização do exame.

    Microscopia

    Definição e Indicações:

    Microscopia especular é a fotografia em grande aumento da camada de células endoteliais da córnea.

    Essas células da córnea não se regeneram e têm um ritmo de perda de acordo com a idade e o organismo. Existe um padrão de normalidade, ao qual o resultado deste exame é sempre comparado. A perda de células endoteliais acentua-se em algumas doenças da córnea e do bulbo ocular (infecção, glaucoma, inflamação) com o uso de lentes de contato, cirurgias ou traumatismos. Estas células são responsáveis pelo metabolismo, mantendo seu estado de desidratação. Se a córnea não fosse desidratada, não seria transparente.

    Com a redução do número de células endoteliais por milímetro quadrado, há hidratação e edema da córnea, causando o esfumaçamento da córnea e a piora da acuidade visual. Em casos extremos de acentuada redução da quantidade de células endoteliais, indica-se transplante de córnea para restituí-las.

    Alterações específicas do endotélio são observadas na microscopia especular e são de grande utilidade no diagnóstico de distrofias endoteliais.

    O exame é indicado na avaliação pré-operatória de catarata, transplantes de córnea, alguns tipos de cirurgia refrativa e no acompanhamento seriado de distrofias de córnea que possam causar lesão endotelial.

    Orientações Necessárias:

    • Não necessita de preparo prévio do paciente;
    • Não suspender medicamentos e/ou colírios;
    • Não há utilização de colírios, a não ser em caso de edema de córnea;
    • Paciente é orientado para encostar a região frontal no aparelho. A seguir, focaliza-se o instrumento na superfície da córnea, obtendo-se uma fotografia que será analisada digitalmente.

    Paquimetria-Ultrassônica

    Definição e Indicações:

    Este método utiliza um feixe focalizado de ultrassom para medir a espessura da córnea (paquimetria). Pode ser realizado na área central (mais utilizado), paracentral e na periferia da córnea, fornecendo medidas em micra. Em caso de afinamento corneano localizado, pode-se medir em um ponto isolado. A média aritmética de cada região estudada poderá ser apresentada.

    Indicado para acompanhar a evolução de doenças que influenciam na espessura da córnea. Desta forma, é utilizado para avaliar alterações que levam à redução da mesma (doenças ectásicas, como ceratocone, degeneração marginal pelúcida, úlcera periférica de Mooren’s), traumatismos e úlceras de córnea (infecciosas ou não infecciosas, como na artrite reumatóide do adulto, e outras doenças reumáticas, olho seco). Além disso, pode ser útil na avaliação de córneas com doenças que levam ao aumento de sua espessura (edema após traumatismo, distrofias endoteliais e estromais, ceratites herpéticas ou autoimunes e alguns tipos de degenerações).

    Há casos de malformações oculares com aumento da espessura da córnea (esclerocórnea, megalocórnea) e casos com redução (síndrome da disgenesia mesoectodérmica de Peters).

    Orientações Necessárias:

    • Não necessita de preparo prévio do paciente;
    • Não suspender medicamentos e/ou colírios em uso;
    • Utilizar colírio anestésico (cujo efeito é de 15 minutos);
    • O paciente é orientado para encostar a região frontal, e, após instilação de colírio anestésico, a sonda de ultrassom toca por repetidas vezes a superfície da córnea (método indolor), fornecendo várias medidas em micra;
    • Dependendo da especificação do caso, pode-se realizar as medições em diversas posições;
    • Necessita cooperação para fixar o olhar durante o exame.

    Teste-Ishihara

    Teste Ishihara

    O teste Ishihara é frequentemente usado para diagnosticar os desequilíbrios de percepção cromática, nomeadamente o Daltonismo, que afecta a percepção das cores básicas e muitas vezes a dificuldade de distinguir o verde do vermelho.

    A distinção é feita entre protanopes, que não vêem o vermelho (Protanopia), deuteranopes, que não vêem o verde (Deuteranopia), e os tritanopes, que não vêem o azul ou o amarelo (Tritanopia). Os tritanopes não podem ser identificados utilizando o teste Ishihara, mas sim o teste Hue 100, que pode ser realizado por um especialista.

    Os portadores de Daltonismo completo, que apenas conseguem percepcionar em tons de cinza, são raros e sofrem do que é chamado de Acromatopsia.

    Teste-Schirmer

    Teste de Schirmer

    Teste que avalia a função lacrimal, ou seja, a produção de lágrimas.

    Realizado com a utilização de tiras de papel semelhantes ao papel de filtro, que ao serem posicionadas em contato com a conjuntiva ocular irão permitir a medição da quantidade de lágrimas produzidas.

    Tonometria

    Também chamado de ‘tonoscopia’, a tonometria é um exame oftalmológico que possui o intuito de medir a pressão intraocular. Deve ser realizado periodicamente para o acompanhamento e para o diagnóstico prévio de complicações da visão. Durante o procedimento a pressão intra-ocular é medida e, entre outras coisas, pode-se diagnosticar casos de glaucoma.

    A pressão intraocular é uma espécie de fluído que fica entre a íris e a córnea. Ela é também a medida da pressão interior nos olhos. Esta necessita estar sempre em níveis normais, pois quando, por exemplo, está elevada, as células nervosas dos olhos podem ser comprimidas a ponto de perderem as funções e causar cegueira.

    É um exame de rotina indicado, principalmente, para pessoas que já tenham idade mais avançada ou para pacientes com suspeita de glaucoma e com histórico familiar de doenças oculares. Pessoas em tratamento de doenças oculares diversas também costumam ser submetidas ao procedimento. Sangramento ocular é outro dos fatores que levam à realização da tonometria.

    Retinografia

    A Retinografia é um exame de imagem que fotografa as áreas do fundo do olho, como a retina, a coróide, o nervo óptico e os vasos sanguíneos.

    Os métodos para a realização deste exame de visão são:

    • Retinografia Colorida (simples): consiste na fotografia do fundo do olho. O exame permite a documentação de alterações na retina e no nervo óptico, fundamental no acompanhamento de doenças progressivas.
    • Retinografia Fluorescente ou Angiofluoresceinografia: analisa a retina, a coróide e os vasos sanguíneos através de fotos obtidas com uma iluminação especial e com uso de filtros. O exame utiliza um contraste chamado fluoresceína que permite o estudo de camadas diferentes dessas estruturas do fundo do olho. É utilizado para o acompanhamento e diagnóstico de doenças como a retinopatia diabética, degeneração macular, oclusões vasculares da retina, entre outras.

Exames oftalmológicos, cuidando da saúde dos seus olhos.

Os exames oftalmológicos muitas vezes são negligenciados por grande parte da população, porém nossa visão deve ser cuidada com extrema atenção da infância até a velhice, para que nos contemos sempre com uma saúde perfeita dos nossos olhos. As visitas na infância são muito importantes pois podem detectar problemas que se não tratados desde cedo podem causar muitos danos e até se tornarem irreversíveis. Com um acompanhamento cuidadoso numa clínica oftalmológica de confiança, você garante uma saúde perfeita para os seus olhos.

PRINCIPAIS EXAMES OFTALMOLÓGICOS.

Apesar de existirem diversos exames oftalmológicos, durante a vida as pessoas têm contato com somente alguns, que são mais gerais e identificam a maior parte das doenças da vista. Como exemplo de exames comuns, nós podemos citar:

  • Exame de Campimetria- o exame de Campimetria avalia a percepção do campo visual do paciente, ajudando a encontrar pontos de pouca ou nenhuma visão. O exame ajuda a encontrar doenças como o glaucoma.
  • Exame de Ceratoscopia- é um exame que mede a curvatura da córnea do paciente, já que existem doenças que podem alterar a curvatura normal da córnea, o que faz com que a luz seja refratada de maneira errada fazendo com que a imagem se forme borrada na nossa retina.
  • Exame de Acuidade Visual- talvez o mais praticado dos exames, é também conhecido popularmente como o simples “exame de vista”. É utilizado para definir se o paciente consegue enxergar detalhes de objetos ou símbolos e se ele necessita ou não do uso de lentes corretivas.

Esses exames são os que a maioria das pessoas irão fazer um dia, mas existem diversos outros oferecidos por clinicas oftalmológicas, que é o lugar certo onde realizar exames oftalmológicos.

 

Agende uma consulta

Melhore a saúde dos seus olhos e
encare uma vida sem desconfortos
Telefone: (11) 3643-5690 – WhatsApp: (11) 99840-1418
Agendar Agora

Informativo

Trabalhe Conosco

Uma excelente oportunidade de carreira para quem
quer trabalhar, crescer e se estabelecer na área da saúde.

Quando surgirem vagas compatíveis com seu perfil,
entraremos em contato com você!

Nome (Obrigatório)

Email (Obrigatório)

Currículo (envie seu cv em pdf ou doc)

Mensagem