Doenças Oftalmológicas

Retinopatia Diabética

O que é Retinopatia Diabética?

Por definição, a retinopatia diabética é o conjunto de alterações nos vasos sanguíneos e na retina causadas pela diabetes. É uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos do olho.

Quase 10% da população sofre de diabetes, e a retinopatia diabética acomete mais de 50% dos pacientes diabéticos. Estes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as pessoas que não apresentam a doença. No momento atual, a retinopatia diabética se destaca como um grande problema, sendo a principal causa de cegueira em adultos.

Há alguns anos, diabetes era sinônimo de cegueira. Felizmente isso já é coisa do passado. A prevalência da Retinopatia Diabética em Diabéticos Insulino-Dependentes é de 40%, enquanto em Diabéticos Não-Insulino Dependentes é de 20%. A faixa etária mais acometida está entre 30-65 anos, e entre o sexo feminino.

Atualmente sabemos que o diagnóstico e tratamento precoces podem reduzir em 80% o risco de cegueira decorrente da diabetes.

O controle rigoroso da glicemia com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina, uma combinação destes tratamentos, prescritos pelo médico endocrinologista, é a principal forma de evitar a retinopatia diabética. O tratamento reduz drasticamente as complicações oculares e de outros órgãos. O cuidado com a alimentação deve ser associado à prática regular de exercícios e acompanhamento médico frequente. Não se deixe enganar pela ausência de sintomas. Meça regularmente sua glicemia e use diariamente a medicação prescrita.

O que Causa a Retinopatia Diabética?

O aumento constante da glicose no sangue faz com que todos os tecidos do corpo fiquem impregnados pela glicose. Está implicado na aceleração da catarata, alguns tipos glaucoma e nas neurites periféricas dos diabéticos.

A maioria dos pacientes diabéticos desenvolve mudanças na retina após aproximadamente 20 anos e provavelmente 80% das pessoas que tenham sofrido de diabetes por pelo menos 15 anos apresentam algum tipo de lesão nos vasos sanguíneos da retina. Depois de 10 anos de doença, a incidência é de 50 %, depois de 30 anos, é de 90%.

Um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos da retina, que é a região conhecida como “fundo de olho”. Pode causar estreitamento e às vezes bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento da sua parede, deformidades conhecidas como micro-aneurismas. Estes microaneurismas muitas vezes rompem ou extravasam sangue causando hemorragia e infiltração de gordura na retina.

Existem duas formas de retinopatia diabética: não-proliferativa e proliferativa. Em ambos os casos, a retinopatia pode levar a uma perda parcial ou total da visão.

Retinopatia Diabética Não-Proliferativa: Pode variar de inicial, moderada a severa. Pode ocorrer muita isquemia retiniana, porém sem neovasos. Pode ocorrer edema na retina, e caso acometa a área macular (edema macular), pode baixar muito a visão central. Retinopatia Diabética Proliferativa: quando a doença dos vasos sanguíneos da retina progride, o que ocasiona a proliferação de novos vasos anormais que são chamados “neovasos”. Estes neovasos são extremamente frágeis e também podem sangrar para dentro do olho (cavidade vítrea), ocasionando uma baixa ou perda da visão. Além do sangramento, os neovasos podem crescer ao longo da retina e da superfície do humor vítreo (gel que preenche o globo ocular) causando graus variados de destruição da retina e dificuldade visual. A proliferação dos neovasos também pode causar cegueira em consequência de um descolamento de retina tracional. Edema macular também pode baixar a visão na RDP, aproximadamente 50% das pessoas com RDP têm edema macular.

Esses mecanismos que temos para melhorar a oxigenação não são suficientes para salvar a retina, caso não ocorra a melhora da saúde de uma forma geral. A produção permanente do VGEF (sigla em inglês de /fator de proliferação vascular endotelial) causa o edema crônico da retina e o crescimento de novos vasos (neovasos). Esses neovasos não são muito competentes em oferecer mais oxigênio e atrapalham a visão, além de sangrar com facilidade.

Quais São os Sinais e Sintomas da Retinopatia Diabética?

Retinopatia diabética frequentemente não tem nenhum sinal de advertência precoce, ocorre silenciosamente. Quando ela começa a dar sintomas, provavelmente já estamos em um estágio avançado. Os sintomas variam dependendo do estágio da doença. Alguns sintomas comuns são a visão borrada, moscas volantes, flashes ou perda repentina da visão. Em caso de qualquer um desses sintomas procure o seu oftalmologista para avaliação da sua retina.