Doenças refrativas – Conheça todos os tipos

Doenças refrativas – Conheça todos os tipos

Por: Crop | 24 de Maio de 2022

Quando falamos de doenças refrativas, muitas pessoas não sabem do que se trata.

Agora, quando falamos em miopia e astigmatismo tudo muda, não é mesmo?

Hoje, vamos falar – e explicar – um pouco mais sobre cada tipo de doença refrativa, o que ela causa na visão, e quais soluções temos para elas.

Vale lembrar, que qualquer que seja o sintoma, é importante sempre procurar um médico oftalmologista para um diagnostico assertivo.

Antes de colocar em pauta cada tipo de doença refrativa, vamos explicar rapidamente um pequeno ponto:

Miopia, hipermetropia e presbiopia são erros de refração, o que isso quer dizer? Que a imagem não é projetada na retina e como consequência, não é recebida da forma correta pelo cérebro.

Esses erros de refração – que são comuns – podem sofrer alterações com o tempo, aumentando, estabilizando e até mesmo diminuindo.

Existe uma série de fatores que podem acarretar nas doenças refrativas, desde uma variação no tamanho do globo ocular, até mesmo problemas de estruturas, como é o caso do cristalino e da córnea.

Vamos conhecer individualmente cada uma das doenças refrativas.

Miopia

Talvez o caso mais comum de doença refrativa. As pessoas que são diagnosticadas com miopia têm dificuldade de enxergar de longe. Isso acontece porque a convergência da imagem ocorre antes da retina.

Os principais motivos para isso acontecer é o fato do olho míope ser maior do que o normal ou por conta das córneas serem muito curvas.

A miopia pode ser transmitida geneticamente, e costuma ser descoberta entre os 8 e 12 anos de idade, no período da adolescência a doença costuma piorar, já que o olho acompanha o crescimento corporal. Já na faixa dos 20 aos 40 anos a doença tende a estabilizar.

Dores de cabeça podem ser comuns, por isso é importante procurar um médico oftalmologista.

Entre as opções de tratamento, podemos citar o uso de óculos de grau (lentes divergentes), lentes de contato e cirurgia a laser. Nesse último caso é necessário que a doença já esteja estabilizada a pelo menos um ano.

Hipermetropia

Se tratando de um caso oposto à miopia, a hipermetropia é uma doença refrativa que causa a dificuldade de enxergar de perto.

Além da dificuldade de observar objetos próximos e ler, a hipermetropia também pode causar dores de cabeça e cansaço visual.

Entre as formas de tratamento estão o uso de óculos de grau (lentes convergentes), lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Astigmatismo

Outro conhecido de boa parte das pessoas com doenças refrativas, a principal característica do astigmatismo é a visão borrada, um problema visual causado pela alteração na curvatura da córnea ou do cristalino.

No caso, uma córnea normal tem um formato mais arredondado, enquanto a córnea da pessoa com astigmatismo tem o formato mais ovulado.

Ao passar pela córnea a luz acaba se espalhando ao invés de focar em um único ponto.

O mesmo acontece no caso do cristalino, a lente do olho, responsável por focar a imagem.

O astigmatismo é uma doença refrativa que não pode ser prevenida e está relacionada a históricos familiares.

Muitas vezes o astigmatismo vem acompanhado de outras doenças refrativas, como miopia por exemplo.

Entre os métodos de correção estão o uso de óculos e lentes de contato e cirurgia a laser.

  • Presbiopia

A presbiopia, também conhecida como “vista cansada” é uma doença refrativa que normalmente atinge as pessoas após os 40 anos, criando uma dificuldade para enxergar tanto de perto, quanto de longe.

Para a corrigir a visão, o indicado é o uso de óculos ou lentes de contato.

E você tem reparado algum dos sintomas que mencionamos? Clique aqui agora mesmo e agende sua consulta!